PAIS, FILHOS E DISTÂNCIAS

A HORA EM QUE FUI ATENDIDO

Filhos,
no dorso das mãos
carrego as distâncias
que pude vencer;

na memória dos olhos,
as paragens que vi,
vivi e nunca pude
olvidar;

no cansaço do corpo,
os rios que naveguei,
as estradas que percorri,
as ânsias de rumos
que sempre tive comigo.

Filhos,
estive na antessala da vida
oculto na penumbra
esperando a vinda
de cada um de vocês;

estive naquele quarto
de hospital
quando a vida nos fez
ver que o amanhã
só existe como esperança;

estive no susto de vocês
com a primeira derrota,
na bênção do
primeiro amor
e seus desenlaces.

Queria estar mesmo
em cada sonho,
em cada susto,
em cada momento,
pois minha vida
está em vocês,
sangue do meu sangue,
esperança da minha esperança,
história que se prolonga
pelas planícies
do tempo infinito.

pai-e-filho

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s